"Nova" praga nas orquídeas: Fungus-Gnat  

Posted by Mariana G. De Nadai in

Apesar do nome Fungus-Gnats, não se trata de uma doença causada por um fungo, mas por larvas de uma mosca com esse nome. Praga bastante comum no cultivo de orquídeas do gênero Phalaenopsis e seus híbridos, foi recentemente detectada em muitos orquidários no Brasil.
No entanto, o ataque não se restringe somente a família Orchidaceae. També é comum no cultivo de flores envasadas como as dos grupos Lisianthus, Gloxinia, entre outros. No caso de orquídeas, além das Phalaenopsis, espécies e híbridos de Oncidium e Vanda têm apresentado problemas relacionados a essa praga devastadora.
As moscas adultas depositam os ovos na superfície dos substratos e nas raízes das plantas e já na eclosão deles as larvas começam a comê-las. Ao se alimentarem formam verdadeiras galerias dentro das raízes, fazendo com que os exemplares as percam em pouco tempo. Sem as raízes, eles acabam murchando e morrendo. Normalmente, na fase em que sua presença pode ser percebida já é tarde demais.
Sua rápida disseminação é muito discutida, mas como as moscas adultas não apresentam longo alcance, o mais provavel é que seu transporte aconteça por meio de plantas infestadas e substratos com ovos ou moscas. Os controles mais indicados são o cultural e o de barreiras, que devem ser realizados tanto por produtores comerciais como por colecionadores.
Para evitar esse problema, também é aconselhável adquirir mudas e plantas de empresas ou produtores qualificados. No caso da aquisição de exemplares de origem duvidosa, deve-se colocálos em quarentena, que nada mais é que o cultivo isolado em locais fechados por 40 dias. Normalmente nessas plantas infestadas são realizadas pulverizações com defensivos.
Outro grande problema é com relação ao substrato. Infelismente muitos produtos a venda não são esterilizados. Por isso é comum encontrar focos de pragas e doenças. Mas a esterilização dos substratos pode ser facilmente realizada, evitando o surgimento da Fungus-gnats. O sistema mais usado é o da cuscuzeira, onde o material é esterilizado pelo vapos d'água.
Tambpem não se deve esquecer de lavar bem vasos e bandejas para mudas, caso sejam reaproveitados. Para a lavagem, o uso de hipoclorito de sódio ou água sanitária em 10% é recomendado. Com essas medidas, é possível evitar a entrada dessa e de outras pragas no orquidário.

Texto de Roberto Jun Takane, publicado na revista "Como Cultivar Orquídeas" nº 36

This entry was posted on quinta-feira, março 12, 2009 at quinta-feira, março 12, 2009 and is filed under . You can follow any responses to this entry through the comments feed .

1 comentários

Este comentário foi removido pelo autor.
15 de março de 2009 09:25

Postar um comentário

Visitas